Minas nas alturas
 
O Parque Nacional do Caparaó foi criado em 1961 durante o governo do então presidente da República Jânio Quadros. Localizado na divisa do Espírito Santo e Minas Gerais, abrange sete cidades capixabas e quatro mineiras, estando a 340 quilômetros de Belo Horizonte. O Pico da Bandeira, ponto culminante do parque e terceiro mais alto do Brasil, com 2.890 m de altitude, é o maior atrativo do belíssimo lugar.
 
Reportagem Patrícia Castro
Fotos Henry Yu/Fernando Piancastelli/Marcos Leão
 

O Caparó se situa numa região montanhosa que compreende parte da Serra do Mar e da Serra da Mantiqueira. Abriga o Pico da Bandeira, ponto culminante do parque e terceiro mais alto do Brasil, com 2.890 m de altitude. Destacam-se no lugar, também pela altura, o Pico do Cruzeiro (2852 metros), o Pico do Calçado (2849 metros), o Pico do Calçado Mirim (2818 metros) e o Pico do Cristal (2770 metros), inteiramente localizado em território mineiro. As áreas mais baixas chegam a 997m de altitude, no Vale Verde.

Em relação à fauna, a ação predatória do homem comprometeu a variedade animal, restando no lugar animais de pequeno porte considerados comuns. Mas o parque resguarda espécies ameaçadas de extinção, como o mono-carvoeiro, o lobo-guará, o veado-campeiro, a jaguatirica, a onça-pintada e o gato-mourisco.

A vegetação é bastante diversificada. As encostas são encobertas por Mata Atlântica. Nos campos de altitude, sobrevivem espécies adaptadas ao frio e resistentes às geadas, como as bromélias, orquídeas, musgos, líquens, sempre-vivas e canelas-de-ema. Nos terrenos mais baixos brotam imbaúbas, quaresmeiras, jequitibás, cedros,  ipês, taquaras e samambaias.

  Várias nascentes formam riachos, corredeiras, lagos e piscinas naturais que impressionam de tão cristalinos. Tudo isso faz da Serra do Caparaó um dos destinos ideais para o ecoturismo e o turismo de aventura. Lá, esporte e contato com a natureza caminham juntos, sendo também uma ótima opção para quem busca apenas tranqüilidade e belas paisagens. Lugar para todos os gostos.
 

Atrativos turísticos
 
O relevo montanhoso e a extensa bacia hidrográfica desenharam as diversas cachoeiras e vales, enquanto a proximidade com o mar fez brotar a Mata Atlântica. A geografia do parque se transforma em aventura para o turista. Trilhas, vôo livre e escalada são algumas das opções radicais que, por lá, podem ser praticadas. Essa é uma das razões que faz o Parque Nacional do Caparaó ser um dos mais visitados do país.

O clima de montanhas também é um atrativo. Os cumes são lugares muito frios, em que a temperatura varia de 25°C a -10°C. Na estação mais fria do ano, há geada e os termômetros chegam a marcar -4°C . Uma dica para quem quer visitar, é levar agasalho. A noite na Serra é sempre fria, mesmo no verão. Mas é o Pico da Bandeira com sua famosa vista do nascer do sol, o grande chamariz turístico da reserva.

A ida até o cume do Pico da Bandeira reserva espetáculos da natureza pelo caminho.  O turista se depara com o Vale Verde que dá sombra e água fresca graças à sucessão de cachoeirinhas e árvores. O cenário convida para o banho e atividades de lazer. A Tronqueira, com 1.970 metros de altitude, é o último ponto acessível para veículos e oferece área de acampamento e uma visão panorâmica de todas as cadeias de montanhas que circundam o maciço do Caparaó, além de linda vista para o pôr-do-sol. O Vale Encantado presenteia com belas piscinas naturais e seu aspecto diferencial de formação rochosa em quartzo colore a água de azul. No Vale Encantado, a Cachoeira Bonita encanta imponente com seus 80 metros de queda d’água. E, finalmente, o terreirão, com 2.370 metros de altitude, um ponto estratégico para a etapa final da escalada ao Pico da Bandeira.

As melhores épocas para visitação são de maio a setembro, com pico em julho. No verão, a incidência de chuvas desfavorece o lugar. A maioria das trilhas tem muito barro e pedra, tornando-se muito escorregadias no período. O excesso de nuvens também compromete o visual de cima dos picos.

 Durante o inverno, o turista pode sentir o inverno frio e seco, que deixa o céu praticamente sem nuvens. Do topo do Pico da Bandeira, entre os horários de 10h às 15h e com o auxílio de binóculos, é possível ver o litoral do Espírito Santo, tamanha a clareza do céu. O parque recebe cerca de 40 mil visitantes por ano, portanto não dá para partir sem fazer reserva antes. O risco de perder a viagem é grande.


História e misticismo

A região é envolta de misticismo, atmosfera que se faz a partir das histórias, mitos e lendas sobre o lugar, a começar pela origem do nome Caparaó. Conta-se que o nome do Parque tem origem indígena-popular e significa "Águas que Rolam das Pedras". Reza a lenda que "Ó" era o nome de um boi bravo que lá vivia, sendo muito temido pelos boiadeiros da localidade. Certo dia, três homens subiram a serra e conseguiram laçar o animal. Para comprovar o ato de bravura “caparam o Ó”, surgindo assim a expressão e o nome “Caparaó”.  Sobre o Pico da Bandeira, conta-se que, por volta de 1859, Dom Pedro II ordenou que uma bandeira do império fosse fincada no lugar mais alto do país. Na época, não se havia descoberto o Pico da Neblina, o maior do Brasil, com 3014 metros. A bandeira no topo originou a denominação "Pico da Bandeira".

O Parque ainda foi palco da Guerrilha do Caparaó, movimento iniciado por grupos esquerdistas na época da Ditadura Militar no Brasil, em 1966. Este foi, provavelmente, o primeiro movimento de luta armada contra o governo dos militares. O cenário da guerrilha, a região do Parque, era considerado um ponto geográfico estratégico, havendo indícios de reconhecimento do território, feito por grupos esquerdistas, ainda no governo João Goulart.  

Apesar do envolvimento de civis, a maioria dos guerrilheiros eram militares, em geral ex-sargentos e marinheiros. A guerrilha contou com o apoio de uma personalidade política brasileira, Leonel Brizola.  À época exilado no Uruguai, ele planejou, do país vizinho, uma reação armada contra os militares, além de ter estabelecido contato com o governo cubano .O país socialista garantiu recursos e recebeu homens que foram treinados para a guerra. Estima-se que cinco integrantes da Guerrilha de Caparaó realizaram treinamento em Cuba.



O Caparó se situa numa região montanhosa que compreende parte da Serra do Mar e da Serra da Mantiqueira.


Mata Atlântica exuberante e muitas nascentes: maravilhas naturais do Caparaó.

Pico da Bandeira, ponto culminante do parque e terceiro mais alto do Brasil, com 2.890 m de altitude.


Fartura de quedas d’água e muitas piscinas naturais.