Reino das águas claras
 
A cidade que integra o circuito Estrada Real localiza-se em uma região acidentada de muitos encantos, repleta de nascentes, águas que esculpiram grutas, cânions e cachoeiras — hoje  transformados em irresistíveis atrativos para o ecoturista.
 

Reportagem Cacaio Six
Fotos Jean Yves Donnard
 
Um lugar de ar puro, fresco, uma dádiva para se respirar bem fundo enchendo os pulmões. A paisagem é um deleite para olhos diante de tanto verde, de tantas águas puras e cristalinas que esculpem cânions e formam rios, riachos, corredeiras e belas cachoeiras. A pequema cidade, agradavelmente bucólica, onde a vida parece correr mansamente e em paz, emociona de tão singela.

Assim é o muncípio de Carrancas,  a 317 km ao sul de Belo Horizonte e pouco mais de cinco mil habitantes, a terra das serras e cachoeiras, que oferece várias possibilidades para o turista como os esportes de aventura e o turismo rural.

Quatro serras circundam Carrancas, um desenho de relevo que lembra uma ferradura. Uma delas é a majestosa Serra de Carrancas com uma altitude máxima de 1.378 metros. Estão nessas serras as nascentes que formam os rios que correm por todo o município esculpindo magníficas cachoeiras e cânions, e seguem para abastecer a cabeceira do rio Grande, um dos mais importantes de Minas Gerais. É no rio Grande que está a barragem de Furnas, que gerou o grande lago. Muito mais à frente, lá no Triângulo Mineiro, esse mesmo rio se encontra com o rio Paranaíba e forma o rio Paraná.

O clima em todo o entorno de Carrancas é mais uma das surpresas agradáveis da região. É típico das regiões que predominam a vegetação de transição entre o cerrado e a mata atlântica.  No verão, as temperatures permanecem sempre amenas, mas com umidade. Já o inverno é frio e seco.

Mas o fato é que em qualquer época do ano, as matas de galeria e os indescritíveis campos rupestres, além de árvores como os ipês, os jacarandás, os paus de óleo e copaíbas, as candeias e as corticeiras encantam a qualquer alma que ama a natureza.

 
Origem
 
Foi exatamente subindo o  rio Grande que os bandeirantes paulistas descobriram a região, percebendo imediatamente a fertilidade das terras e todas as possibilidades da exploração aurífera. 1720 era o ano e a bandeira era chefiada pelo capitão-mor João Toledo Pizza. Um ano depois já estava erguida uma capela em honra a Nossa Senhora da Conheição e o lugar passou a ser conhecido como Nossa Senhora do Rio Grande.

Pouco depois, nas frenéticas escavações em busca do ouro, os habitantes do lugar descobriram duas grandes pedras que tinham o formato de duas carrancas. Daí a origem do nome da cidade. Mas antes, o lugarejo foi conhecido por outros nomes também ligados às grandes pedras: Nossa Senhora das Carrancas, Carrancas de Baixo e Carrancas de Cá.

Ainda hoje existem no município lugares praticamente intocáveis, de imensa beleza, recantos provavelmente muito parecidos com a paisagem que os bandeirantes encontraram nos idos do século 18. Um ótimo exemplo é a serra das Broas e das Bicas, rica em cachoeiras, grutas  e cavernas. A cachoeira das Bicas, com 75 metros de queda, é uma ótima opção para a prática da descida em  rapel. Já a gruta da Cortina — uma densa vegetação desce pela rocha e cobre a entrada da imensa clarabóia, daí o no nome — encanta os espeleólogos. Conforme relato de guias e de moradores desta região, ainda há muitas belezas ocultas nesta serra como uma cachoeira ainda mais alta do que a das Bicas, além de rochas de quartzito e arenito com fendas que formam grutas ainda desconhecidas.

 
Atrativos
 
O ecoturismo surge para Carrancas como uma relevante atividade econômica. Tanto é assim que, na vertente do turismo de aventura, existem várias opções para a prática de trekking, mountain bike, cannyoning, montanhismo e vôo livre.

Para quem prefere sossego, paz e tranqüilidade, a cidade, além de oferecer o melhor da culinária típica mineira e muitos quitutes  — os pães de queijo são deliciosos —, dispõe de boas pousadas, restaurantes e fazendas históricas.

Carrancas também pode se orgulhar de seu patrimônio histórico. A Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição foi construída em predra maciça por volta de 1720. A nave da igreja é decorada por uma belíssima pintura datada de 1840, de autoria do mestre Natividade — devidamente reconhecida pelo IPHAN —, discípulo do Aleijadinho.

No distrito de Carrancas, a 20 km do centro, está a Estação de Carrancas, cuja origem remonta ao final do século XIX a partir da expansão da Estrada de Ferro Oeste de Minas, que implantou diversas estações em seu trajeto até Barra Mansa-RJ.

No povoado de mesmo nome, às margens do rio Grande, também está a Capela do Saco, totalmente feita de pedras. A capela foi edificada por volta de 1802 por ordem de Júlia Maria da Caridade, proprietária da Fazenda do Sacco (que originou o povoado), em honra a Nossa Senhora da Conceição.

 
Muitas águas
 
O complexo da cachoeira da Fumaça é o principal atrativo de Carrancas. São 15 cachoeiras próximas, com destaque para as mais visitadas que são a própria cachoeira da Fumaça — cartão postal da cidade pelo grande volume d’água e os seu 22 metros de altura—, do Véu da Noiva, com 32 metros de queda e um belo poço, e as cacheiras do Luciano e da Serrinha, esta menos frequentada.

Aliás, a alta frequência de turistas na cachoeira da Fumaça e arredores nos finais de semana e nos feriados precisa ser seriamente ordenada. A exploração turística de um atrativo tão interessante e belo deve obrigatoriamente ser racional e sustentável. O turista precisa ser orientado e devidamente instruído sobre como usufruir do lugar, sobre como preservar o tão frágil equilíbrio da natureza.

Todas as formas de poluição — do esgoto doméstico ao lixo deixado pelos visitantes — um grave problema recorrente em praticamente todas as regiões do país —, também devem ser severamente controladas. Diante de tantas belezas gentilmente desenhadas  pela pródiga natureza, e na perspectiva de assistir a cada dia a transformação da pequenina cidade em um consagrado destino turístico, Carrancas pode se posicionar na vanguarda caso proporcione sustentabilidade e ordenamento à atividade turística.

Mas ainda há águas e mais águas límpidas e cristalinas, entre poços, corredeiras e cachoeiras em meio a muito verde. São passeios imperdíveis. A começar pela cascata ou escorregador da Zilda;  são 12 pequenas cachoeiras em sequência e o principal atrativo,  uma rocha com 15 metros de extensão que faz as vezes de um delicoso escorregador. Após atravessar uma original ponte pênsil chega-se à cachoeira Vargem Grande, repleta de cascatas, duchas e piscinas naturais.

Outro ótimo local para banhos é o Poço do Coração. São duas piscinas naturais, sendo uma em forma de coração, além de corredeiras e um escorregador.

 
Festas
 
Carrancas mantem uma tradição de boas festas que atraem muitos visitantes. A primeira do calendário é o reveillon quando a comunidade comemora junto aos turistas com vários shows de música a passagem do ano. A tradicional festa de Folia de Reis, acontece de 24 de dezembro a 6 de janeiro. Neste período os homens cantam e tocam de casa em casa.

Em seguida, no dia 20 de Janeiro, é a festa de São Sebastião, padroeiro do município. Acontecem procissões, missa, bailes, shows pirotécnicos e uma grande cavalgada.

O carnaval é antecipado, acontece 15 dias antes dad at normal. Por isso, atrai inúmeros foliões. Na Semana Santa 50 jovens encenam a paixão de Cristo pelas ruas da cidade. No dia 9 de abril tem a festa da emancipação do município. Nesta data comemora-se o aniversário da cidade. No dia de Corpus Christi a comunidade enfeita as ruas para a passagem do corpo de Cristo. No último final de semana de junho acontece a Exposição Agropecuária no parque de exposições. Shows musicais, rodeios, torneio leiteiro, mostra de gado e muita comida e bebida são as atrações.

A Assunção de Nossa Senhora, em 15 de agosto, também é comemorada pela comunidade com procissão, coroação, missa e festas  com quermesse e apresentação da de grupos de congado.



Cachoeira Vêu da Noiva.


Quatro serras circundam Carrancas, um desenho de relevo que lembra uma ferradura.

A pequena cidade é agradavelmente bucólica, onte a vida parece correr mansamente em paz.


Ainda hoje existem no município de Carrancas lugares praticamente intocáveis, de imensa beleza.

Estão nas serras de Carrancas as nascentes que formam os rios que correm por todo o município esculpindo cachoeiras e cânions.


Igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, construída em pedra maciça por volta de 1720.