Visão empresarial do turismo

Por Andréa Rocha
Foto Fernando Grilo

O presidente e fundador da Lokamig Rent a Car não é apenas um executivo do ramo de aluguel de veículos em Belo Horizonte. É também um incentivador da atividade turística em Minas Gerais, oferecendo serviços de qualidade e apoiando iniciativas culturais e de entretenimento.
 
 
Na qualidade de diretor de Marketing do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau e membro de outras entidades de classe, Saulo Fróes aposta cada vez mais no turismo de negócios como fonte geradora de riquezas e de distribuição de renda na capital mineira.

Há 25 anos, Saulo Fróes viu a possibilidade de criar seu próprio negócio num momento em que o país vivia uma de suas grandes crises econômicas. Em 1981, sustentado por uma larga experiência profissional construída no ramo de aluguel de veículos, ele fundava, com apenas 22 veículos, a Lokamig Rent a Car.

Atualmente, a locadora, que hoje tem 600 veículos, não é apenas o único negócio de Saulo Fróes. Há cinco anos, fundou o Imperador Recepções e Eventos, o único da cidade a conquistar o selo de qualidade ISO-9001. A ampliação não parou por aí. Há um ano, o grupo fundou a Seminovos Lokamig, ganhando mais competitividade e  rentabilidade.


Articulação com a atividade turística
 
Essa visão de conjunto permite não apenas à ampliação de seu próprio negócio, mas também uma sólida articulação com a atividade turística em Minas. Ciente na importância da Lokamig no conjunto das ações e empreendimentos turísticos em Belo Horizonte, Saulo Lóes investe na qualificação de seus profissionais no atendimento aos seus clientes.
 
Os funcionários da Lokamig são preparados para fornecer informações turísticas sobre Belo Horizonte, estimulando novas opções de consumo e de serviços na cidade.

 A parceria da Lokamig com Belo Horizonte é expressa também sob a forma de patrocínio de shows,  teatros e eventos. “Essa é uma forma de contribuir para que a cidade nos dê ainda mais no futuro”, justifica. “Apoiamos, por exemplo, o Pop Rock Brasil, desde o início. Os primeiros freqüentadores do evento, antes com 14, 15 anos, hoje já estão com mais de trinta anos e são clientes da locadora. “É só projetar, pensar longe e acima de tudo acreditar”.

Para Saulo Fróes, o desenvolvimento econômico deve ser compartilhado e, portanto, deve estar aliado à melhoria de condições de vida da população. A partir desse princípio, de responsabilidade social, a Lokamig investe em ações sociais. Cinco creches, um asilo e outros casos individuais de pessoas com necessidades especiais integram a política social da Lokamig.
 
Além de investir na qualificação de seus profissionais, em projetos culturais e sociais, Saulo Fróes amplia sua articulação com participação ativa em diversas entidades de classe. É também presidente do Sindicato de Locação de Automóveis de Minas Gerais - SINDLOC, diretor da Associação Brasileira Locação de Automóveis - ABLA; membro do Conselho de Turismo da Associação Comercial e da Federação do Comércio de Minas Gerais e Past Pres. do SKAL Internacional BH.

 
Apoio da iniciativa privada
 
“Hoje está mais do que provado que nós temos que desenvolver o turismo de negócios em Belo Horizonte e o ecoturismo  nas diversas regiões de Minas Gerais. A Lokamig vai sempre estar junto de todas as iniciativas em prol do turismo da cidade e do Estado”, defende, ressaltando que o momento é favorável para o crescimento da atividade e para o aquecimento de todos os negócios ligados ao setor. Segundo ele, o governo Aécio Neves apresenta, na pasta de Turismo, um perfil mais empreendedor, uma visão empresarial que supera as políticas tradicionais, o que dará melhores condições para o desenvolvimento de diversas atividades.

Entre as iniciativas que merecem o apoio da iniciativa privada, Saulo Fróes destaca o projeto Estrada Real. “Quando o Estrada Real estiver efetivamente concretizado, pessoas de todo o Brasil e do exterior vão ser atraídas para a região. Isso afeta positivamente todo o nosso negócio”, explica, lembrando que antes mesmo da conclusão do projeto, ele mesmo já tem usufruído das possibilidades turísticas desse trajeto. “Sou muito suspeito para falar porque faço caminhadas pela Estrada Real.  No ano que vem, um grupo do qual faço parte completará uma trajetória de 1 200 km”.


Conjunto de ações
 
Na avaliação de Saulo Fróes, o Estrada Real não se esgota em si mesmo. Na verdade, vem integrar um conjunto de ações e iniciativas que irão convergir, favoravelmente, para o setor turístico de Belo Horizonte. “Sou diretor de marketing do Belo Horizonte Convention & Visitors Bureau, que até pouco tempo tinha 40 associados. Hoje são quase 200, somos o maior do Brasil”, contabiliza, destacando que a  dinâmica de novas ações e estratégias desenvolvidas pelo BHC&VB está trazendo eventos importantes para Belo Horizonte.

Entre os grandes eventos sediados por Belo Horizonte merece destaque a 47ª Reunião Anual das Assembléias dos Governadores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), realizada em abril de 2006, no Expominas. O encontro, que reuniu representantes de 47 países, deu maior visibilidade à capital mineira e confirmou a sua capacidade de acolher e sediar eventos de todos os portes e perfis.

Com a reforma e ampliação do Expominas, há cerca de um ano, e com criação da Linha Verde, o empresário acredita que o turismo de negócios em Belo Horizonte só tende a crescer, e muito. “Aliás, já está crescendo”.  Para se ter uma idéia, a ocupação média dos hotéis, que oscilava entre 20% e 30%,  agora se mantém entre  45%, 50% e até 60%. A principal vocação de Belo Horizonte é mesmo o turismo de negócios, que gera receita, emprego, renda e faz com que uma cidade como BH se torne cada vez mais cosmopolita.