Pipa arrebatadora

Por Raquel Coutinho
Fotos Henry Yu e Jean Yves Donnard

Praias belíssimas, sofisticados meios de hospedagem, gastronomia requintada e vida noturna agitada: assim é a paradisíaca Pipa, no litoral sul do Rio Grande do Norte.



A 88 quilômetros ao sul de Natal, via BR-101, o vilarejo de Pipa, mais conhecido como Praia da Pipa,  é distrito do município de Tibau do Sul. É um dos mais badalados destinos turísticos do Nordeste brasileiro.

Ainda no caminho entre Tibau do Sul e Pipa, o visual que se descortina à sua esquerda é arrebatador. Os tons de vermelho, cobre, bege e laranja colorem as enormes falésias e contrastam com o estonteante azul do mar. No alto, o verde intenso da mata atlântica é um convite a conhecer o Santuário Ecológico de Pipa. As praias se sucedem em um verdadeiro show de belezas, antecipando momentos inesquecíveis. Ao aportar nas charmosas ruas calçadas do vilarejo, o visitante já está totalmente seduzido por esse trecho tão especial do litoral sul do Rio Grande do Norte.

Pipa reúne praias paradisíacas, sofisticados meios de hospedagem, gastronomia requintada e vida noturna para todos os gostos. Pessoas das mais variadas nacionalidades encontraram no lugar o refúgio perfeito para se fixar. Até os mais ilustres moradores do litoral – tartarugas marinhas, golfinhos e peixes-boi – são facilmente observados nas praias da região, em qualquer época do ano.


Ares cosmopolitas

Antiga vila de pescadores, o local ganhou ares cosmopolitas. A rica culinária regional compete pela preferência dos turistas com os restaurantes de comida internacional. O comércio variado conta com inúmeras lojinhas de roupas, acessórios, decoração e artesanato que ficam abertas até tarde da noite. O vai e vem de gente bonita começa por volta das 19 horas e segue até o início da madrugada. Do forró à música eletrônica, as pistas das boates começam a ferver e só param com o raiar do dia, de segunda a segunda.

O nome Pipa, segundo os moradores mais antigos, teve origem quando imigrantes portugueses avistaram uma rocha que se assemelhava a um barril. Hoje conhecida como Pedra do Moleque, a referência fica na Praia dos Afogados. Em Portugal, tradicionalmente, é chamado pipa o barril usado para armazenar bebida, notadamente o vinho.


Sonhos em seqüência

Nos 10 quilômetros pelos quais se estendem as areias finas e claras de Pipa, a Praia das Minas é a primeira ao sul e a mais visitada pelas tartarugas. Logo em seguida, o chapadão é um famoso cartão postal, mirante e, dizem, pouso de naves intergalácticas. A Praia do Amor deve seu nome ao formato de coração e ao jeito descolado de seus freqüentadores. Preferida entre os surfistas, era muito procurada por adeptos do naturismo. Hoje, no entanto, a prática já não é tão comum no local.

A Praia do Centro difere-se pelos corais e piscinas de água morna. Mais familiar, devido a sua proximidade com a vila, é ideal para comer à beira-mar e deixar as crianças à vontade.  Passeios de escuna, de buggy, caique ou a cavalo são algumas das opções de lazer.

A Baía dos Golfinhos é também chamada Praia do Curral. Totalmente virgem, oferece vista privilegiada para as acrobacias dos simpáticos mamíferos que diariamente se alimentam ali. Barcos levam os mais curiosos para observar de perto o boto cinza (Sotalia guianensis) e, com sorte, até mesmo nadar junto deles.

Margeada por um belo coqueiral ante a grande falésia, a Ponta do Madeiro tem dois quilômetros de águas tranqüilas e uma extensa faixa de areia, ponto de desova das tartarugas marinhas. No alto, 1.500 m2 de mata atlântica intocada compõem o Santuário Ecológico. Trilhas interpretativas, museu e mirante são alguns dos atrativos. Na seqüência, Cacimbinhas é a última praia antes de se chegar a Tibau do Sul. Uma longa escadaria desce a maior das falésias até a beira-mar, onde palhoças servem deliciosas iguarias. Para quem aprecia uma boa caminhada, o caminho de Pipa a Tibau é incomparável.



Antiga vila de pescadores, a Praia da Pipa é um lugar cosmopolita, pois recebe grande número de turistas estrangeiros (Foto Henry Yu)


O chapadão é outro cartão postal, mirante e, dizem, pouso de naves intergalácticas (Foto Jean Yves Donnard)

O nome Pipa teve origem quando imigrantes portugueses avistaram uma rocha que se assemelhava a um barril. Em Portugual, barril é chamado de pipa. Hoje a rocha é chamada de Pedra de Moleque (Foto Jean Yves Donnard)