Conteúdo instigante e diversificado

Esta Sagarana de número 24, uma publicação insistentemente atemporal e orgulhosamente sem amarras, aborda importantes elementos do ecossistema de Minas Gerais apresentando um conteúdo instigante e diversificado tal qual é a riquíssima biodiversidade desta terra, que ainda resguarda preciosos trechos dos biomas Cerrado, Mata Atlântica e Caatinga. O clima, o relevo e a abundância das águas legaram a Minas Gerais um espetacular conjunto de vegetação, considerado o mais diversificado do país. Isso explica porque a flora de Minas Gerais é tão rica, e conseqüentemente, a fauna. São riquezas que ainda estão fortemente ameaçadas, como mostra reportagem nesta edição.

Outra reportagem explica porque o dito popular “a caixa d’água do Brasil” se aplica tão perfeitamente a Minas Gerais: pela quantidade de bacias hidrográficas que irrigam o estado e a importância e magnitude delas. Grandes rios como São Francisco, Doce, Grande, Paranaíba, Paraíba do Sul e Jequitinhonha aqui nascem e beneficiam outros estados da federação. 

Esta edição ainda revela que permeando regiões de grande beleza — entre cachoeiras, cerrado, campos rupestres e montanhas — estão em Minas as mais ricas  grutas, lapas e cavernas do Brasil. Além de atrair turistas do mundo todo — que visitam, por exemplo, a famosa Gruta de Maquiné —despertam a atenção de pesquisadores e estudiosos, que buscam em suas entranhas um pouco da história da vida na Terra.

Em plena coerência com a sua proposta editorial, Sagarana, ao estampar todas essas maravilhas impressas em suas páginas, procura explicar didaticamente o tamanho  da importância da biodiversidade que ainda resiste em Minas Gerais. Com o mesmo propósito, faz um passeio pelos rios que cortam o seu território.

Esta Sagarana acredita que sem conhecimento nunca, jamais, em tempo algum será possível estruturar uma cultura turística em Minas Gerais. Sem conhecimento será impossível mover consciências em direção à causa da conservação das riquezas naturais. Neste ponto, é esclarecedora a entrevista do biólogo Luiz Paulo de Souza Pinto, da  ONG Conservação Internacional Brasil. Sem preservação — leia-se patrimônio histórico, arte, cultura, costumes e ecologia — e sem conhecimento não há turismo.





Produzida e editada por:

Editor
Cézar Félix

Editor de Fotografia
Henry Yu

Editor de Arte
J. A. Cézar

Colaboradores:

- Repórteres
Andréa Rocha
Carolina Godoi
Cacaio Six
Assad Abrahão
Marina Rattes
Raquel Coutinho
Letícia Fassy

- Fotógrafos
Henry Yu
Roberto Murta
Marcelo Andrê
Fernando Grilo
Fernando Piancastelli

- Articulista
Euclides Guimarães (Kika)

- Ilustração
Mário Vale

Publicidade
Dom Representações e Mkt

Scanner e Tratamento
Times Editorial

Produção Gráfica
Henry Yu

Projeto Gráfico
J. A. Cézar

Projeto Editorial
Cézar Félix